20 setembro 2019

O que fazer com os alemães?

É um sufoco jogar contra os alemães! 

Na Champions contra alemães... esquece!
O Benfica está na fase de grupos da Liga dos Campeões pela 10ª vez consecutiva, mas quando os alemães atravessam o nosso caminho... esquece! Não seremos felizes de certeza absoluta. Na época 2010-11 o Benfica ficou no mesmo grupo do Schalke 04, que nos venceu duas vezes (lá e cá). No final, Schalke, 1º classificado; Benfica, 3º. Em 2014-15 foi a vez do Bayer Leverkusen. Vitória do Benfica... nenhuma! Ficamos com um empate na Luz e uma derrota na Alemanha. Por fim, Bayer em 2º lugar; Benfica, 4º e de fora até da Liga Europa. Na época passada levamos com o Bayern de Munique no mesmo grupo. Mais duas derrotas e... Bayern, 1º; Benfica, 3º.

Mata-mata contra alemães é... morte!
Mas a nossa intrigante má fortuna contra as equipas alemãs acontece também quando saímos das fases de grupos e passamos para as eliminatórias a duas mãos. Ou seja, se o assunto for mata-mata, quase sempre... morremos! Na época passada, já repescados para a Liga Europa, foi o que se viu. Eintracht de Frankfurt e... eliminados! Isso na fase de esplendor do Bruno Lage, com João Félix a dar chocolate e tudo. Na Champions, quando conseguimos superar a fase de grupos, acabamos eliminados por... alemães! Foi assim em 2016-17, nos oitavos-de-final, contra o Borussia Dortmund; foi assim em 2015-16, nos quartos-de-final, contra o Bayern de Munique.

No jogo jogado contra alemães é... sufoco!
O pior de tudo é a forma como somos sufocados contra os clubes alemães, o que não acontece contra ingleses, espanhóis ou italianos. Podemos perder, mas a jogar à bola. Contra os alemães o Benfica não consegue jogar. Eles fazem uma pressão tão grande em cima dos nossos jogadores que... esquece! Curiosamente, contra o Bayern de Pep Guardiola o Benfica até jogou. Já com o Dortmund do jovem Thomas Tuchel levamos um amasso incrível! Desta vez foi o RB Leipzig do jovem técnico Julian Nagelsmann. Dominados, perdemos na Luz (1-2). E voltaremos a perder na... Alemanha. A não ser que, até lá, Bruno Lage descubra um antídoto contra... alemães!

Julian Nagelsmann, mais um jovem técnico alemão a dar aula na Luz.

31 agosto 2019

À espera do efeito... Champions!

É levantar a cabeça na Liga dos Campeões, com Zenit, Lyon, Leipzig...

Efeito mágico... Lage!
Foi realmente uma derrota difícil de digerir, essa contra o Porto (0-2), em casa. Não que tal desgosto seja uma grande novidade, porque acontece sempre qualquer coisa de estranho na mente dos nossos jogadores que os deixa travados contra os dragões na Luz. Não é normal perder tantas vezes com o Porto nos nossos domínios. Mas este ano tinha tudo para ser diferente. Primeiro porque tinhamos vencido o último jogo contra eles em casa, ainda com Rui Vitória. Foi por 1-0 mas vencemos! Depois, já sob os efeitos mágicos de Bruno Lage, acabamos com a arrogância deles, vencendo-os no seu próprio reduto. E vencer o Porto duas vezes na mesma época é raro!

Efeito Krasnodar... ao contrário!
Na época passada conseguimo-lo. Sem falar que fomos campeões! Em 2005-2006, sob o comando de Ronald Koeman, o Benfica também venceu o Porto na nossa casa e na deles. Só que, daquela vez, o campeonato ficou por lá, no norte. Agora estava tudo a nosso favor para nova vitória. Do lado deles, além do efeito psicológico dos dois murros que levaram nas trombas na época passada, havia também a debandada de alguns elementos importantes, como Herrera, Bahimi, Felipe, Éder Militão, etc., e ainda o efeito Krasnodar. Mas o Benfica é um caso de estudo. Vencer a terceira seguida ao Porto? Não, nada disso! Vale muito mais irmos a pé até... Krasnodar!

Efeito... Champions!
Assim, passamos da fase Bruno-Lage-só-alegria para Bruno-Lage-levanta-a-cabeça. Sim, será o primeiro levantamento de cabeça na era Bruno Lage. Então, vamos a isso! Vamos levantar a cabeça porque somos os campeões de Portugal e temos o melhor treinador do campeonato. Aliás, não podemos esquecer que Bruno Lage ainda nem tem um ano de experiência como técnico principal. É um absurdo achar que ele não pode errar. É um absurdo também deixar de acreditar nestes jogadores. Foram eles que nos deram o 37. Sim, o Benfica fez respiração boca-a-boca a um Porto sem ar. Sim, eles agora têm nova vida. Mas quem está na Champions somos nós!

... e tentar esquecer que demos oxigénio a um Porto sob o efeito Krasnodar.

28 julho 2019

Depois de Luisão, o adeus de Jonas e Salvio

Benfica e San Francisco Giants; Luisão, Rui Costa e uma lenda do basebol.

Três lendas gloriosas
Luisão foi jogador do Benfica durante 15 longos anos e conquistou 6 títulos de campeão português; Salvio, 8 anos de águia ao peito e 5 títulos; Jonas, 5 anos e 4 títulos. Cada um teve papel de extrema importância na história do nosso Glorioso. Três histórias gloriosas, três lendas que, por razões várias, deixaram o clube. Isso em menos de um ano! Luisão e Jonas encerraram as suas carreiras, enquanto que Salvio regressou à Argentina para jogar no Boca Juniors. Claro que o Benfica continuará muito forte, mas ainda bem que o clube sabe valorizar as suas referências. Que bom ainda termos Jardel (8 anos de clube), André Almeida (7), Fejsa (6), Pizzi (5) e Samaris (5).  

Antes e depois de Luisão
Em agosto de 2003 o Cruzeiro anunciava a venda de Luisão ao Benfica. Eram tempos difíceis. Ele encontrou o clube numa desesperante seca de títulos. Tinha sido em 1993-94 a conquista do último campeonato. O domínio do FC Porto era avassalador: Porto, 6 títulos; Sporting, 2; Boavista, 1. Em 25 de setembro do ano passado, quando Luisão anunciou o fim da sua carreira, trazia na bagagem 4 títulos consecutivos (entre 2013-14 a 2016-17) nos últimos 5 anos de clube. Mas para o nosso glorioso atingir tal patamar foi preciso muito sofrimento. E Luisão muito sofreu pelo Benfica! Hoje é uma satisfação enorme vê-lo como dirigente do clube, ao lado de outra lenda: Rui Costa.  

Amor e gratidão
Salvio chegou ao Benfica em tempos mais agradáveis. Em 2010-11, o clube ainda não tinha a hegemonia desportiva de hoje, mas já dispunha de um novo Estádio da Luz e de um centro de treino e estágio moderno, onde o futuro começava a ser pensado com o devido critério. Rúben Dias tinha 13 anos; Gedson Fernandes e Jota, 11. Estes e outros miúdos já vinham a ser trabalhados no Seixal para estarem onde estão hoje, capazes de vestir o manto sagrado com a mesma capacidade de superação do Salvio e ainda vencer, como na época passada em que conquistaram o 37. E o que dizer do adeus de Jonas? O melhor é ler o livro: O Benfica segundo Jonas - Amor e Gratidão.

O adeus de Jonas, com amor e gratidão.

04 julho 2019

João Félix, o artista da multiplicação

A arte paga-se com... MILLONES!

Félix, multiplicador de... milhões!
Foi-se a nossa pérola. João Félix deixou-nos. O furacão que encantou a Luz em apenas 5 meses e foi decisivo para a fabulosa R3CONQUIS7A vai agora arrasar corações rumo a novas conquistas, no Wanda Metropolitano, palco do Atlético de Madrid. A história do nosso 37º título de campeão terá sempre a marca de João Félix, que poderia ser a nova referência do Benfica, como era desejo de Bruno Lage. Mas neste mundo maluco do futebol-negócio é difícil fazer previsões desse tipo. Quem poderia imaginar que já este ano iria aparecer um clube disposto a pagar € 120 milhões por ele, que ainda só tem 19 anos? Eden Hazard custou ao Real Madrid "só"... 100 milhões!

Félix, multiplicador de... sonhos!
Talvez fosse de esperar um clube da dimensão do Real Madrid para o João Félix, mas não há dúvida nenhuma que ele terá um sucesso estrondoso, precisamente em Madrid, pelo Atlético. Pode ser até que o sonho da Champions League se concretize, depois das duas finais perdidas recentemente, em 2014 e 2016. Muitos acham que não será fácil a sua adaptação ao sistema rígido de Diego Simeone, que ele vai ter de correr muito sem bola, desgastando-se em demasia para ainda ter forças de mostrar a sua arte na frente de ataque. Mas de certeza que Simeone sabe muito bem a jóia que vai ter na sua equipa, sabe muito mais que a imprensa espanhola... sabichona!

Félix, multiplicador de... arte!
É tão sabichona a imprensa espanhola que fez um exercício do futuro onze do Atlético de Madrid e colocou o João Félix como médio direito no 4-4-2 do Simeone. Isso é que torna mais incrível esta venda. Saíndo de Portugal, a ignorância é total quanto às reais características do nosso menino. Em inglaterra disseram que o Manchester City desistiu do João Félix porque já tem o Phil Foden. Ignorância total, porque o Foden é um médio puro. Mas Simeone sabe que o 4-4-2 do Bruno Lage só foi possível porque tinha o Félix. Sabe também que o seu 4-4-2 terá agora um Griezmann muito... melhorado. E sabe que os espanhóis, logo, vão reverenciar a arte de João Félix... artista!

Depois do 37 da R3CONQUIS7A, mais um 7 para conquistar... Colchoneros!

04 junho 2019

Uma cartinha ao Jesus... brasileiro!

Boa sorte, Jorge Jesus!

Cuidado com o teu... ego!
Esta carta é de um benfiquista ferrenho que não esquece as coisas boas que fizeste no Benfica. Quando saíste, disseste disparates a mais, mas também deves ter aprendido algumas lições. Uma delas é que nem Eusébio foi maior que o Glorioso. E agora que vais para o Clube de Regatas do Flamengo, da mesma forma não deves esquecer que nem Zico foi maior que o Mengão. E olha que esta lenda viva conseguia colocar mais de 150 mil pessoas no velhinho Maracanã só para vê-lo jogar. Isto para te dizer que deves esquecer o teu ego gigante. Preocupa-te apenas com o futebol. Faz a tua equipa jogar bem e quem sabe os brasileiros descubram o... mestre da táctica.

De novo... Béla Guttmann!
Enfim, se fores humilde já será meio caminho andado para teres sucesso no Brasil. E olha que torço por ti. Acho até que tens tudo para ser muito grande no País do Futebol, ajudando a mudar algumas coisas a nível mental e táctico nesse marasmo em que se transformou o futebol brasileiro. Mas não penses que será fácil. Os estrangeiros não têm tido muito sucesso por lá. Talvez o último que tenha, realmente, deixado um legado positivo seja o Béla Guttmann, que introduziu o 4-2-4 em 1957, novidade aproveitada por Vicente Feola, seu adjunto no São Paulo e depois o técnico da seleção brasileira campeã do mundo em 1958. Béla Guttmann, vê lá tu! Há 60 anos!  

Se conquistares a imprensa...
O Brasil tem 5 Copas do Mundo. Mas, com a vergonha dos 7-1, o país desceu à terra e viu, finalmente, que algo estava errado. Por alguma razão não aparecem tantos craques como no passado. Os treinadores ficaram preguiçosos. Já não se vê técnicos brasileiros na Europa, ao contrário de argentinos, uruguaios ou chilenos. É preciso uma revolução, a começar pelos treinadores, que raramente ficam mais de seis meses num clube. Mas, Jesus, se queres mesmo ter sucesso no Brasil, primeiro tens de conquistar a imprensa-sabe-tudo. O normal é um ex-treinador virar comentarista desportivo? Pois, fica atento porque o teu novo clube até já teve como treinador um... jornalista!

Conviver com a imprensa brasileira será um novo mundo para Jesus.

31 maio 2019

Milagres da R3CONQUIS7A

Foi sofrido recuperar 7 pontos de atraso para o... 37!

O milagre... técnico!
A derrota do Benfica em Portimão, na primeira semana de 2019, fez soar o alarme no ninho da águia. A maior parte dos benfiquistas deve ter dito: Pronto, acabou pra nós! Do 2º lugar caímos para 4º, abaixo de Braga, Sporting e Porto. Ver um Porto tranquilo, a caminho do bicampeonato, quase sem oposição, com 7 pontos à frente, muito por culpa nossa, foi doloroso. E aguentar a arrogância deles? Era sofrimento a mais. De repente veio a troca de treinadores. Falou-se no Mourinho, mas aí aconteceu o primeiro milagre. Foi o milagre da escolha. Bruno Lage saltou da equipa "B" para a "A". Não se esperava nada de tão extraordinário, mas o jovem Lage foi... extraordinário!

O milagre... Félix!
Primeiro, ele conquistou toda a gente com a sua simplicidade e um discurso fácil, rico de ideias. Estava ali para ser treinador de futebol, "treino a treino, jogo a jogo", sem entrar em polémicas. E que aula ele deu ao futebol português! De imediato, mostrou grande coragem ao mudar o sistema de jogo. Afinal de contas, esse foi o grande pecado de Rui Vitória, que abraçou o 4-3-3 e não mais largou. Era óbvio que o Benfica devia jogar em 4-4-2. Se tinhamos um Seferović que faz 3 golos à Bélgica, logo, ele devia ser titular ao lado do Jonas. Aí aconteceu outro milagre. Lage não só lançou o Seferović, como ainda colocou o miúdo João Félix como avançado, a fazer de... Jonas! 

O milagre... Seixal!
Em poucas semanas o puto... explodiu! O que era para acontecer só na próxima época, aconteceu nesta. E o mundo assistiu ao nascimento do fenómeno Félix. Que felixidade a R3CONQUIS7A! Mas muitos outros milagres aconteceram. Era inqualificável estar 10 anos sem vencer no campo do Porto. Pois, fomos lá e vencemos com vários miúdos formados no Seixal. Foi incrível assistir ao crescimento de Félix, Rúben, Ferro, Gedson, Florentino... e também foi incrível a goleada 10-0 ao Nacional, sem falar nos 103 golos no campeonato. O 2º classificado só marcou 74 golos! E o que dizer do milagre Rafa... goleador? Assistimos até ao milagre da ressurreição do... Taarabt!

Benfica 10-0 Nacional, uma goleada das antigas no caminho do título. 

09 maio 2019

Obrigado, Ajax!

O Tottenham mereceu. O Ajax... merecia!

Um futebol de... encantar!
O futebol é mesmo de... loucos! O Ajax estava a encantar o mundo... ou melhor, o Ajax ainda encanta o mundo com o seu futebol de... encantar. Mas agora, em que ficamos? Como explicar o inexplicável? Esta equipa, simplesmente, eliminou o Real Madrid da forma categórica que todos viram, vencendo 4-1 no Santiago Bernabeu; eliminou a Juventus com um autêntico banho de bola e vitória 2-1 em Turim; foi a Londres vencer o Tottenham por 1-0, também de forma clara, para depois, no Johan Cruijff ArenA, arrasar de novo os Spurs, com 2-0 ao intervalo e... a final da Champions logo ali à mão. Só que ainda faltavam 45 minutos... mais 7' de acréscimo...    

Um sonho, em um minuto... desfeito!
E o impensável aconteceu! O jogo a acabar, o árbitro com os olhos pregados no relógio, um só minuto de jogo, bastava alguém do Ajax chutar aquela bola pra bem longe, lá prá bancada, e pronto! Mas não foi o que aconteceu. Que desgraça, que falta de sorte, que pena ver o sonho daqueles miúdos, assim, desfeito de uma forma tão cruel! Onana (23 anos), Donny van de Beek (22), David Neres (22), Frenkie de Jong (21), Dolberg (21) e Matthijs de Ligt (19) já tinham sofrido o desgosto de perder a final da Liga Europa contra o Manchester United, há 2 anos. Mas agora foi pior. Estiveram a um minuto de celebrar a merecida presença na final da Liga dos Campeões.       

Os miúdos deles, os miúdos... nossos!

E quanto mereceu o Ajax esta final! Mas também o Tottenham... merece! O Tottenham, aliás, faz lembrar este Benfica. Foi dado como morto e ressuscitou. É que os londrinos, na primeira parte, estiveram realmente... mortos. No entanto, é o Ajax que mais tem a ver com o Benfica e as nossas ambições de clube formador, não só pela escola de referência mundial que são, mas porque os miúdos deles fazem-nos acreditar, cada vez mais, nos nossos... miúdos! Temos de acreditar em Rúben Dias, Gedson, Félix, Ferro, Florentino, Jota... Willock, Dantas, Nuno... Tavares... Embaló... Camará... Enfim, se eles acreditam, nós acreditamos. Por isso, obrigado, Ajax!

Matthijs de Ligt não esqueceu o Benfica.

24 abril 2019

Faltam 4 finais, o Marquês e o... Jamor!

18 de maio, o dia em que todos os caminhos vão dar ao Jamor.

Quem disse que não vamos ao Jamor?
Sim, que alegria nos deu o futebol feminino do Benfica ao eliminar o Sporting de Braga nas meias finais da Taça de Portugal! Depois da derrota 1-2 em casa, descemos um pouco à terra e constatamos que aquelas goleadas todas na 2ª divisão inchavam, de certa forma, o real valor da equipa. Bem lançado para ser campeão nacional, o Braga era superior. Na casa deles, então, seria missão impossível! Mas que loucura! Início de jogo e... 2'... 5'... 8'... 3-0! Isso mesmo, bastaram 8 minutos para, em ritmo alucinante, o Benfica fazer 3 belos golos ao Braga. As nossas meninas marcaram mais um golo, elas dois, e por fim... 4-2! Sim, vamos à final! Vamos ao Jamor!

E o Marquês continua à espera!
Benfiquistas, vamos transformar a festa do Jamor num acontecimento grandioso, muito maior do que a minúscula final masculina! As nossas meninas merecem! Merecem um dia diferente, à Benfica! Neuhaus, Daiane, Sílvia Rebelo, Tayla, Yasmim, Pauleta, Ana Vitória, Jassie, Evy, Geyse, Darlene, Rilany, Maiara... enfim, todas as que tornaram possível esse momento incrível. Até agora, nos 25 jogos oficiais de águia ao peito, foram... 358 golos marcados! E chegarão aos 400! Por isso, Todos ao Jamor, no dia 18 de maio, contra o Valadares Gaia. Depois da 1ª Taça de Portugal, erguida por Darlene 'Jonas' de Sousa e Companhia, será a vez do... Marquês!

Porque só faltam 4 finais!
Finalmente Bruno Lage terá tempo para preparar a equipa. Uma semaninha inteira de treino antes de cada final! Claro que foi uma grande desilusão a derrota com o Eintracht Frankfurt e a eliminação da Liga Europa. Seria bonito fazer dois jogos com o Chelsea e buscar o sonho de mais uma final europeia. Mas, sejamos realistas. Não estávamos preparados para tantas finais e corriamos o risco de chegar ao fim de mãos a abanar. Agora podemos estabilizar a equipa e colocar em campo os que estão em melhor forma. Para já, os 6-0 ao Marítimo mostraram uma equipa mais solta e pronta para o que aí vem. E o que aí vem é uma... duas... três... quatro finais!

Todos contam para as 4 finais, contra tudo e todos.  

12 abril 2019

E se a expansão do Seixal for até... Baku?

Por favor, Google-Tradutor, está escrito que o Benfica já eliminou o Frankfurt? 

Ao vivo!
Benfica-Eintracht Frankfurt. Mas Frankfurt não é a cidade das salsichas? Não foi lá que inventaram esses saborosos embutidos, no longínquo séc. XV? Oh, pá! Que se lixem as salsichas! Pensa sim na gestão do plantel, porque a Liga Europa não é importante. O campeonato é que é! Alguns jogadores precisam descansar. O André Almeida nem foi convocado, mas também não joga o Ferro, o Jonas, o Taarabt... Penalty! Claro, era o último homem. Expulsão! Que passe do puto Félix do Seixal e que infiltração do puto Gedson do... Seixal! Isso sim tem marca! Nada a ver com salsichas... Frankfurt. Oh, pá! Golo deles! Jović? Mas... esse também não andou pelo... Seixal?

A quente!
Oh, presidente Vieira! Chega! Chega de expandir o Seixal! Para quê, se andamos a meter na Caixa inimigos infiltrados? Este Jović, quando jogou pela equipa B, se marcou algum golo, só com requerimentos por escrito e ainda passados em cartório, porque senão ele não ia lá. Agora tem o desplante de vir marcar na Catedral, contra nós! Mas também, oh Fejsa, que perdida de bola! Queres sair? Olha, que temos no banco o Fejsa do... Seixal! Florentino lá pra dentro! Caraças, só dá Seixal! Félix... Félix... Rúben Dias... Félix! João Félix-Hat-Trick! Este miúdo é um fenómeno. Oh presidente Vieira! Tens carta branca para alargar a Fábrica do Seixal! Mas... 4-2? Haja Paciência!

A frio
Antes do jogo acontecer, 4-2 seria um resultado maravilhoso. Mas depois de ver o que todos viram, a jogar 70 minutos com 10, o Eintracht safou-se de regressar a Frankfurt com uma lata de salsichas daquelas. Desenhava-se uma goleada histórica, mas o futebol tem desses caprichos difíceis de explicar. Isolado por Félix, Seferović correu sozinho para fazer o 5-1 e... falhou; logo a seguir, Gonçalo Paciência que raramente faz, desta vez... fez golo e deixou a eliminatória em aberto. Agora, de certeza que já não vamos a Frankfurt só para comer hot dogs. Mas, será que o plano de expansão do Seixal passa por... Baku, no Azerbaijão? É lá a final da Liga... Europa!

Será que Félix-Hat-Trick já pensa em... Baku? 

07 abril 2019

Foco, por favor!

Quem, depois de morto, levanta-se e ainda dá espetáculo tem de ser campeão.

Lembrar o empate com o Belenenses...
Vocês conseguem! Não há dúvida nenhuma sobre isso. Quem vence o FC Porto duas vezes na mesma época, lá e cá, sempre com um expulso antes do fim do jogo, consegue tudo. Porque vocês, jogadores do Benfica, são muito Grandes. Têm a chama imensa!  Mas, por favor, lembrem-se que pouco importará tão grande feito de vencê-los da forma épica como foi se não terminarem o serviço. Deixar o Belenenses empatar naquele jogo esquisito do golpe de vista foi munição muito mal gasta. Logo, ficamos proibidos de perder mais pontos. Já os do Porto, esses garantem que vão vencer todos os jogos e nem precisam combinar conosco para... comemorar!

Não esquecer a derrota com o Sporting...
E de penálti em penálti, bem ou mal assinalados, lá vão eles vencendo. Com a vitória sobre o Boavista, falta-lhes agora 6 finais. Nós, mesmo estando na frente, andamos excessivamente nervosos e até o condenado Feirense é capaz de meter um tremendo... medo. É que, sabe-se lá por quê, perdemos aquela intensidade que levou o Bruno Lage ao altar dos Deuses. A derrota com o Sporting nas meias finais da Taça de Portugal foi dolorosa por isso. Faltou chama, faltou concentração, faltou cabeça. E por nos bastar apenas um empate, faltou vontade de vencer. Sem falar que ainda conseguimos transformar o Bruno deles, o Fernandes, no novo Deus do Olímpo.

Saber que é proibido errar de novo
Enfim, não estaremos na final do Jamor. Depois da recente final da Taça da Liga entre Porto e Sporting, teremos de vê-los de novo juntos, agora na final da Taça de Portugal. Quanto ao campeonato, este tem de ser nosso. E os jogadores sabem que não podem falhar. É verdade que em janeiro estávamos a 7 pontos do 1º lugar, sem esperanças de mais nada. Só que o efeito Bruno Lage foi milagroso. Mas foi apenas um meio milagre porque ainda não ganhamos nada. Ou melhor, não existem milagres pela metade. Ou são ou não são! E o nosso destino tem de ser a volta ao Marquês no final desta época. Para tal, um pedido aos jogadores: Por favor, não percam o foco!

Eles têm quase a certeza que, ganhando todos os jogos, serão campeões.