24 abril 2019

Faltam 4 finais, o Marquês e o... Jamor!

18 de maio, o dia em que todos os caminhos vão dar ao Jamor.

Quem disse que não vamos ao Jamor?
Sim, que alegria nos deu o futebol feminino do Benfica ao eliminar o Sporting de Braga nas meias finais da Taça de Portugal! Depois da derrota 1-2 em casa, descemos um pouco à terra e constatamos que aquelas goleadas todas na 2ª divisão inchavam, de certa forma, o real valor da equipa. Bem lançado para ser campeão nacional, o Braga era superior. Na casa deles, então, seria missão impossível! Mas que loucura! Início de jogo e... 2'... 5'... 8'... 3-0! Isso mesmo, bastaram 8 minutos para, em ritmo alucinante, o Benfica fazer 3 belos golos ao Braga. As nossas meninas marcaram mais um golo, elas dois, e por fim... 4-2! Sim, vamos à final! Vamos ao Jamor!

E o Marquês continua à espera!
Benfiquistas, vamos transformar a festa do Jamor num acontecimento grandioso, muito maior do que a minúscula final masculina! As nossas meninas merecem! Merecem um dia diferente, à Benfica! Neuhaus, Daiane, Sílvia Rebelo, Tayla, Yasmim, Pauleta, Ana Vitória, Jassie, Evy, Geyse, Darlene, Rilany, Maiara... enfim, todas as que tornaram possível esse momento incrível. Até agora, nos 25 jogos oficiais de águia ao peito, foram... 358 golos marcados! E chegarão aos 400! Por isso, Todos ao Jamor, no dia 18 de maio, contra o Valadares Gaia. Depois da 1ª Taça de Portugal, erguida por Darlene 'Jonas' de Sousa e Companhia, será a vez do... Marquês!

Porque só faltam 4 finais!
Finalmente Bruno Lage terá tempo para preparar a equipa. Uma semaninha inteira de treino antes de cada final! Claro que foi uma grande desilusão a derrota com o Eintracht Frankfurt e a eliminação da Liga Europa. Seria bonito fazer dois jogos com o Chelsea e buscar o sonho de mais uma final europeia. Mas, sejamos realistas. Não estávamos preparados para tantas finais e corriamos o risco de chegar ao fim de mãos a abanar. Agora podemos estabilizar a equipa e colocar em campo os que estão em melhor forma. Para já, os 6-0 ao Marítimo mostraram uma equipa mais solta e pronta para o que aí vem. E o que aí vem é uma... duas... três... quatro finais!

Todos contam para as 4 finais, contra tudo e todos.  

12 abril 2019

E se a expansão do Seixal for até... Baku?

Por favor, Google-Tradutor, está escrito que o Benfica já eliminou o Frankfurt? 

Ao vivo!
Benfica-Eintracht Frankfurt. Mas Frankfurt não é a cidade das salsichas? Não foi lá que inventaram esses saborosos embutidos, no longínquo séc. XV? Oh, pá! Que se lixem as salsichas! Pensa sim na gestão do plantel, porque a Liga Europa não é importante. O campeonato é que é! Alguns jogadores precisam descansar. O André Almeida nem foi convocado, mas também não joga o Ferro, o Jonas, o Taarabt... Penalty! Claro, era o último homem. Expulsão! Que passe do puto Félix do Seixal e que infiltração do puto Gedson do... Seixal! Isso sim tem marca! Nada a ver com salsichas... Frankfurt. Oh, pá! Golo deles! Jović? Mas... esse também não andou pelo... Seixal?

A quente!
Oh, presidente Vieira! Chega! Chega de expandir o Seixal! Para quê, se andamos a meter na Caixa inimigos infiltrados? Este Jović, quando jogou pela equipa B, se marcou algum golo, só com requerimentos por escrito e ainda passados em cartório, porque senão ele não ia lá. Agora tem o desplante de vir marcar na Catedral, contra nós! Mas também, oh Fejsa, que perdida de bola! Queres sair? Olha, que temos no banco o Fejsa do... Seixal! Florentino lá pra dentro! Caraças, só dá Seixal! Félix... Félix... Rúben Dias... Félix! João Félix-Hat-Trick! Este miúdo é um fenómeno. Oh presidente Vieira! Tens carta branca para alargar a Fábrica do Seixal! Mas... 4-2? Haja Paciência!

A frio
Antes do jogo acontecer, 4-2 seria um resultado maravilhoso. Mas depois de ver o que todos viram, a jogar 70 minutos com 10, o Eintracht safou-se de regressar a Frankfurt com uma lata de salsichas daquelas. Desenhava-se uma goleada histórica, mas o futebol tem desses caprichos difíceis de explicar. Isolado por Félix, Seferović correu sozinho para fazer o 5-1 e... falhou; logo a seguir, Gonçalo Paciência que raramente faz, desta vez... fez golo e deixou a eliminatória em aberto. Agora, de certeza que já não vamos a Frankfurt só para comer hot dogs. Mas, será que o plano de expansão do Seixal passa por... Baku, no Azerbaijão? É lá a final da Liga... Europa!

Será que Félix-Hat-Trick já pensa em... Baku? 

07 abril 2019

Foco, por favor!

Quem, depois de morto, levanta-se e ainda dá espetáculo tem de ser campeão.

Lembrar o empate com o Belenenses...
Vocês conseguem! Não há dúvida nenhuma sobre isso. Quem vence o FC Porto duas vezes na mesma época, lá e cá, sempre com um expulso antes do fim do jogo, consegue tudo. Porque vocês, jogadores do Benfica, são muito Grandes. Têm a chama imensa!  Mas, por favor, lembrem-se que pouco importará tão grande feito de vencê-los da forma épica como foi se não terminarem o serviço. Deixar o Belenenses empatar naquele jogo esquisito do golpe de vista foi munição muito mal gasta. Logo, ficamos proibidos de perder mais pontos. Já os do Porto, esses garantem que vão vencer todos os jogos e nem precisam combinar conosco para... comemorar!

Não esquecer a derrota com o Sporting...
E de penálti em penálti, bem ou mal assinalados, lá vão eles vencendo. Com a vitória sobre o Boavista, falta-lhes agora 6 finais. Nós, mesmo estando na frente, andamos excessivamente nervosos e até o condenado Feirense é capaz de meter um tremendo... medo. É que, sabe-se lá por quê, perdemos aquela intensidade que levou o Bruno Lage ao altar dos Deuses. A derrota com o Sporting nas meias finais da Taça de Portugal foi dolorosa por isso. Faltou chama, faltou concentração, faltou cabeça. E por nos bastar apenas um empate, faltou vontade de vencer. Sem falar que ainda conseguimos transformar o Bruno deles, o Fernandes, no novo Deus do Olímpo.

Saber que é proibido errar de novo
Enfim, não estaremos na final do Jamor. Depois da recente final da Taça da Liga entre Porto e Sporting, teremos de vê-los de novo juntos, agora na final da Taça de Portugal. Quanto ao campeonato, este tem de ser nosso. E os jogadores sabem que não podem falhar. É verdade que em janeiro estávamos a 7 pontos do 1º lugar, sem esperanças de mais nada. Só que o efeito Bruno Lage foi milagroso. Mas foi apenas um meio milagre porque ainda não ganhamos nada. Ou melhor, não existem milagres pela metade. Ou são ou não são! E o nosso destino tem de ser a volta ao Marquês no final desta época. Para tal, um pedido aos jogadores: Por favor, não percam o foco!

Eles têm quase a certeza que, ganhando todos os jogos, serão campeões.

12 março 2019

Um problema de (di)gestão!

A digestão da vitória no Dragão afetou até... golpes de vista!

Engolir dragões pode dar in... digestão!
Vencer é sempre uma maravilha! Quando, então, as vitórias acontecem muitas vezes, jogo após jogo, ainda por cima com a prática de um futebol bonito, de goleadas à moda antiga e tudo, aí vira excitação, quase que uma embriaguez coletiva. Bruno Lage foi quem devolveu tal estado de ânimo à nação benfiquista num momento em que já não se falava mais em Reconquista. Assim como Bruno Lage fez de Harry Potter e, por artes mágicas, conseguiu tirar rapidamente o plantel da depressão, ele agora terá de ser... supersónico, de novo, para tirar-nos a todos dessa indigestão monumental pós-vitória no Porto. Engolir o Dragão com fogo e tudo não nos fez bem. 

Bestial... besta... The Best?
O pior de tudo é que, depois de uma jornada tão bonita como aquela no Dragão, em menos de uma semana muitos já vão colocar em causa o sistema tático; a ideia de jogo; os putos que afinal estão em número exagerado no plantel e deveriam descer à equipa "B" para crescer mais um pouco; o guarda-redes que já não vale nada; o Rúben Dias que já é para vender; sem falar no Lage, antes exaltado como o criador de uma nova religião e agora, talvez, um anjinho, incapaz de sobreviver às tormentas deste mundo bravio do futebol. Não! Mil vezes não! É preciso ter calma porque o futebol é isto. De bestial, ontem, a besta, hoje, por que não, amanhã... The Best?

A digestão de um plantel em... gestão!
Odysseas é fantástico e sem as suas defesas milagrosas nem sequer na Liga Europa estaríamos; Rúben Dias é titular indiscutível da seleção portuguesa; os miúdos vindos da equipa "B" têm sido incríveis, dos melhores reforços desta época; Lage, O Grande, é perfeito, mas talvez a gestão que faz do plantel ainda não esteja... perfeita. Ele sabia que era muito arriscado não dar descanso à dupla Seferović-Félix. E com o estoiro do Seferović foi-se também a nossa Félixidade. Rúben Dias é outro que nunca descansa. Enfim, nada está perdido, mas é obrigatório terminar logo a digestão da saborosa vitória sobre o Porto e depois, então, usar pinças na gestão do plantel.

Em Zagreb perdemos Seferović e a... Félixidade! 

04 março 2019

Como eu te amo, Benfica!

Sou do Benfica e isso me envaidece!

Obrigado Benfica, 115 anos!
Ser Benfiquista é ter na alma a chama imensa que nos conquista... Sou do Benfica e isso me envaidece... E quanto envaidecido estou por dizer aos quatro ventos que sou deste clube lutador, da águia que voa acima de qualquer tempestade e sobe mais que todos ao altar dos campeões! Se o céu é o nosso espaço, ainda temos a Luz que nos faz sonhar alto, todos os dias. E que sensação incrível essa, de felicidade, na noite de 2 de março de 2019, quando tomamos de assalto o Dragão, com banhos de bola e luta com fervor, para mostrar a todos neste nosso Portugal que, em 115 anos de história, o SLB nunca encontrou rival. Obrigado, Benfica, como eu te amo!

Obrigado jogadores, caça-dragões!
Assistir à arrogância dessa gente, que precisa cuspir fogo todos os dias para vencer, controlando o futebol português, chega a ser desesperante. Pior ainda é vê-los fazerem-se de vítimas, atacados por múltiplos tentáculos de um polvo vermelho que controla... Portugal. Foi até engraçado aquela do boneco deles a anunciar, na véspera, os onze que estariam à mercê do fogo do Dragão e das pedras à quebra no nosso autocarro. E que maravilha ir ao Porto ganhar com dois defesas centrais de 21 anos, made in Seixal, e ainda um ex-dragãozinho de 19 anos, prodigioso caçador de... dragões. Aliás, todos os jogadores foram... caça-dragões. Muito obrigado, meus heróis!

Obrigado Mister Lage, o Treinador!
E o que dizer do efeito Bruno Lage no universo benfiquista? Depois da épica vitória no sempre minado campo dos dragões, em que mostrou novamente a sua habilidade fora-de-série para dirigir este Ferrari vermelho da Luz, ele simplesmente agradeceu os seus bravos rapazes por estarem a fazer dele treinador e virou-se de imediato para o próximo treino, porque o caminho faz-se assim, "dia a dia, treino a treino, jogo a jogo". É de uma humildade admirável este jovem que apenas queria ser um professor de educação física. Mas deixa-me dizer-te isto, oh Mister, és um Treinador bom pra c... caramba! Não há palavras para descrever a tua competência. Obrigado, Mr. Lage!

O efeito Lage no universo benfiquista só está a... começar! 

21 novembro 2018

Os sobreviventes Rui Vitória e... Seferović!

Não é qualquer um que marca 3 golos à Bélgica, num jogo decisivo!

Quem não muda de ideia não... sobrevive!
Winston Churchill, o histórico primeiro-ministro britânico durante a fase mais negra da II Guerra Mundial, disse um dia que "quem não muda de ideia não muda nada". E naquele tempo era preciso mudar sempre de ideias e estratégias para enfrentar e sobreviver ao poderio bélico da Alemanha Nazi de Hitler. Churchill teve de mudar de ideia muitas vezes para não ser morto pelo monstro. É que às vezes não é só mudar por mudar. É mudar para sobreviver. No futebol, os treinadores muitas vezes têm de deixar de lado o planeamento de uma época inteira para mudar de ideias rapidamente, porque, a dado momento, importa mais... sobreviver. É o caso de Rui Vitória.

As mudanças de Rui Vitória para... sobreviver!
O instinto de sobrevivência de Rui Vitória é digno de Churchill. Para não morrer, parece que terá de mudar de ideia novamente e, assim, mudar definitivamente esta má sorte que se abateu sobre a equipa. Sendo esta a sua 4ª época como treinador do Benfica, se no seu 2º ano o campeonato foi ganho sem muitos sobressaltos, nos restantes tem sido o cabo dos trabalhos superar tantas tormentas. No seu 1º ano, Rui Vitória foi um homem de visão, ao lançar o Renato Sanches como patrão de um meio-campo que parecia não ter solução. Na época passada, mudou do 4-4-2 para o 4-3-3, com o foco em Krovinović e depois Zivković, mas morreu na praia quando ficou sem Jonas.     

O 4-4-2 na nova vida de... Seferović!
Esta época, depois de garantir, sem Jonas, a qualificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões e de vencer o Porto na Luz, sem Jonas, quebrando uma maldição que nos impedia de ter sorte contra os dragões, eis que esta mesma sorte é desbaratada sem sentido com 3 derrotas consecutivas, deixando-nos quase fora da Champions e a 4 pontos da liderança no campeonato. Ou seja, parece ser o momento do sobrevivente Rui Vitória mudar de novo. Jonas voltou e nos últimos 3 jogos fez 3 golos. Seferović é outro sobrevivente e o homem do momento com 3 golos à Bélgica. Portanto, não há que pensar: É Jonas e Seferović de novo no ataque e o 4-4-2, de novo!

Depois da vitória no jogo dos milhões, Vitória vai... sobrevivendo.

06 novembro 2018

Está provado que o Porto já não vale nada!

Depois de vencer o Porto, o... descalabro!

Vencer ao Porto já foi... especial!
Ganhar ao Porto na Luz sempre foi algo muito especial. É verdade que nos tempos mais recentes o Benfica não tem conseguido vencê-los com a frequência desejada. Nos últimos 10 anos tinham sido só 2 vitórias, 4 derrotas e 4 empates. Sim, apenas 2 vitórias do Benfica contra 4 vitórias do Porto, e na Luz! Mas essas duas vitórias, a meio dos campeonatos de 2009-10 e 2013-14, fizeram com que a equipa embalasse de vez rumo aos respectivos títulos de campeão, registando-se apenas uma derrota nos 15-16 jogos que se seguiram. Vencer ao Porto dava aos jogadores a vitamina necessária para varrer todos os adversários que aparecessem pela frente. Dava!

Vencer ao Porto já aconteceu... este ano!
Sim, dava, no passado, porque já não dá mais! As coisas mudam muito rapidamente e, hoje, vencer o Porto está mais próximo de funcionar como um purgante no organismo dos nossos jogadores do que uma vitamina. Praticamente 5 anos depois da última vitória, ela veio há um mês, numa tarde memorável, em que um golo bastou para os adeptos fazerem a festa. Deu gosto ver os jogadores concentrados, com a lição bem estudada, sabendo que a vitória nem dependia de uma enormíssima exibição. E ainda souberam sofrer, terminando o jogo só com dez. Também foi bonito ver a união deles na comemoração do golo, titulares e suplentes, assim abraçados!

Afinal, vencer o Porto é a mesma coisa que... nada!
Pois é! Tudo muito bonito vencer o Porto, mas a embalagem rumo ao título ninguém viu ainda. Até poderemos vir a ser campeões, como aconteceu em 2009-10 e 2013-14, quando também vencemos o Porto na Luz. Mas como? Se naquele tempo houve um efeito vitamina que nos manteve no topo da classificação até ao fim, desta vez o efeito foi contrário, ou melhor, foi purgante. É que a vitória sobre o Porto foi tão insignificante para os jogadores que logo a seguir trataram de perder com o Belenenses e com o Moreirense. Do topo, o Benfica baixou para 3º e agora é 5º. Explicação só há uma: Vencer ao Porto já não vale nada, ou seja, o Porto vale... nada!

De nada valeu a vitória sobre o Porto... nada!

29 outubro 2018

O gosto pela dor e o sofrimento

Desastrados, amigos de m... Muriel!

Ao vivo
Imperativo ganhar! Uma vitória e pronto... liderança isolada no campeonato. Depois era só embalar para a Reconquista. Tudo muito simples! E começamos bem. Logo no 1º minuto, Salvio faz uma diagonal e... quase! Grande defesa para canto. O nome do gajo? Melhor nem saber. Vá que resolva engatar uma grande exibição contra nós! O Benfica sabe como consagrar os guarda-redes adversários. Mas logo o comentarista da televisão não aguenta a boca fechada e menciona um nome: Muriel! Pouco depois... Muriel... Muriel... Muriel! Esperem porque agora é penálti! Epá, novamente... MURIEL! Epá... Golo deles! E golo. Fim da 1ª parte: Belenenses 2-0 Benfica.

A quente!
Ninguém merece isto! Primeiro, não conseguimos acertar com a baliza do Ajax, em mais uma jornada da Champions, e ainda por cima saímos de Amsterdão derrotados com um golo no minuto 90+2'; quatro dias depois, a vez do Belenenses mostrar todas as nossas fragilidades no ataque e também no meio-campo... na defesa... na equipa técnica... no Seixal... enfim, todos transformados numas grandes bestas! Sim, o Seixal sim! Nem vale a pena falar dos falhanços do Rafa ou do Seferović. A culpa é do tal Simulador 360S que temos no Seixal! Que palhaçada é essa de haver um aparelhinho com várias luzes para os ditos acertarem a finalização e na hora H é só m... Muriel!

A frio
E pensar que no início deste mês todos foram bestiais ao conseguirem vencer o Porto, na Luz, com golo do... Seferović! Sim, aquilo foi muito bom, mas vê-se que falta alguma coisa a este Benfica de belas triangulações. Até exibiu-se bem contra o Ajax, mas o golo no fim, quando não podíamos perder... E o Belenenses? Como foi possível perder um jogo tão fácil de ganhar? Por isso, talvez seja hora de mudar umas coisinhas. Não mudar-te a ti, Rui Vitória, porque já provaste que sabes sofrer e... cortar a meta em 1º. Mas não fiques tão apegado ao 4-3-3. Muda também para o 4-4-2. E vê se rodas mais o plantel, sobretudo no meio-campo e no ataque. São tantas opções!

Ai o minuto 90+2, que c... cruel!

31 agosto 2018

À reconquista, nos trilhos da Champions!

Os trilhos da reconquista serão percorridos na Champions dos milhões! 

Um Benfica enorme!
Têm sido jogos atrás de jogos, um total de sete em apenas três semanas. Quando não é na Liga NOS, então é a vez da Champions. No campeonato interno até que estamos na frente, com duas vitórias e um empate amargo contra um Sporting muito sortudo na Luz, para não dizer outras coisas, mas nesta fase o que importava mesmo era chegar à Liga dos milhões. Só que no futebol, a este nível, já não há jogos fáceis. Na teoria é tudo muito bonito, mas na prática são 90 minutos, onde a superioridade de uma equipa em relação à outra tem de de ser demonstrada lá dentro, no campo! E aí o Benfica foi enorme. Calou os frenéticos adeptos do Fenerbahçe e do PAOK!

Um Benfica para ambientes adversos!
E que belas exibições o Benfica tem feito fora de casa, em ambientes extremamente adversos, onde os donos da casa se agigantam e costumam causar muitas dificuldades aos seus adversários! No Bessa, contra o Boavista, foi uma vitória categórica de 2-0; no inferno de Istambul, os adeptos do Fenerbahçe tentaram de tudo para galvanizar a sua equipa, mas o Benfica controlou o jogo do princípio ao fim e garantiu um empate de 1-1, suficiente para seguir em frente na Europa; finalmente a visita a Salónica, na Grécia, para carimbar o passaporte rumo à fase de grupos da Champions, gelando o Estádio Toumba, com uma exibição categórica e goleada de 4-1 ao PAOK.

Um Benfica de Champions!
Nos jogos em casa é que têm acontecido coisas muito estranhas, ou por relaxamento da nossa parte, ou por incompetência do árbitro, ou por falta de sorte e até por algum mérito do adversário. O certo é que Fenerbahçe (1-0), Guimarães (3-2), PAOK, (1-1) e Sporting (1-1) conseguiram sair da Luz sem o peso de duras goleadas. Agora, vem aí mais uma saída complicada, até à Madeira para defrontar o Nacional dos nevoeiros. Depois sim, entramos numa nova fase da reconquista. Com novas contratações ou sem mais contratações, sigamos em frente porque a caminhada será longa, a começar pela Champions, frente a Bayern de Munique, Ajax e AEK de Atenas.

Na Grécia dos Deuses e dos Heróis, os nossos jogadores foram... Superiores!

07 agosto 2018

A reconquista começa hoje... na Europa!

Vamos a isto!

À reconquista de muita coisa!
Sim, começa hoje a longa caminhada do Benfica rumo ao sucesso. Será a reconquista de muita coisa, principalmente do título de campeão de Portugal que nos escapou na época passada. Aliás, o Benfica já nem deveria participar nesta coisa chocha que a Liga de Clubes organiza, um campeonato que até foi chamado de Liga Salazar e ninguém levou a mal; onde os árbitros são ameaçados no seu local de treino por vândalos bem conhecidos da macacada e ninguém toma medidas; onde a pirataria informática é feita à descarada e continua tudo bem... uma vergonha! Se um dia destes o Benfica aceitasse participar num campeonato espanhol ou inglês, aí eu queria ver!

Lotação esgotada para mostrar... união!
Eu queria ver essa corja sobreviver num mundo sem o Benfica! Aliás, o que seria de Portugal sem o glorioso? Mas enfim, vamos dar-lhes mais uma oportunidade, a ver se este campeonato português melhora um pouco. Entretanto, a reconquista começa hoje, precisamente na Europa. Mas a reconquista será muito mais difícil do que imaginamos. Podemos discutir se o treinador é bom ou mau, se as contratações são assim-assim ou se tal venda foi bem-mal feita, que o Crime Organizado vai continuar a... organizar-se, mesmo com alguns tiros nos próprios pés. Por isso, o que fará a diferença é a união da família benfiquista. Para já, a Luz estará com lotação esgotada!

Em busca da felicidade sem... Jonas!
E que Benfica, hoje, contra o Fenerbahçe? A pré-época mostrou coisas boas e também causou preocupação. Mas não existem pré-épocas perfeitas. A pior dos últimos anos foi, talvez, a de 2015-16 e mesmo assim fomos campeões. Bom foi ver o poder de reação da equipa. Duas vezes esteve a perder 0-2 e duas vezes empatou, contra o Dortmund e o Lyon. Só que sofrer 2 golos em 2-3 minutos foi irritante. Hoje isso não pode acontecer! Dos novos, Odysseas é bom reforço e Gedson também! Aliás, o miúdo já não sai mais da equipa. Não ter Jonas é que é pena. Mas, antes de lamentar a sua ausência, importa saber se ele está feliz. Jonas merece ser feliz e o Benfica também!

Que Jonas seja feliz e o Benfica também, sempre a vencer!