17 julho 2021

Eu, benfiquista anónimo, confesso-me... inocente!

Adeus, Vieira! Bem-vindo, Benfica!

Eu, inocente, só sei que o Benfica é para se... amar!
Quando, em 1988, o Benfica venceu o Steaua de Bucareste (2-0) no Estádio da Luz e qualificou-se para a final da Taça dos Campeões da Europa, eu estava lá no 3º Anel! Quando, em 1990, o Benfica venceu o Marselha (1-0) e qualificou-se para nova final da Taça dos Campeões, eu estava lá, de novo, na Luz! Nas duas situações, o presidente do Benfica era João Santos. Naqueles tempos a nossa preocupação, como adeptos, não ia além do futebol e do que jogavam os nossos craques. Em momento algum parávamos para pensar na idoneidade dos nossos dirigentes, porque não era preciso. O seu amor ao Benfica era evidente. Estavam lá pelo Benfica!

Eu, inocente, sei que o Benfica também atrai o... mal!
Hoje, não basta ser apenas um adepto apaixonado pelo clube, que fica doente com as derrotas, seja em que modalidade for. Somos agora obrigados a ter também um olho clínico para distinguir os bons dos maus, aqueles que estão lá por amor e os que apenas querem servir-se do clube. Isso irrita-me profundamente, porque eu só queria torcer pelo meu Benfica. E quando criei este blogue para escrever sobre o glorioso, quis fazê-lo como anónimo, da mesma forma que, como anónimo, várias vezes dei corpo ao inferno da Luz. Não conheço o novo estádio, mas no antigo 3º anel, a plenos pulmões, nunca parava de gritar: Benfiiiiiiiiiiica! Benfiiiiiiiiiiica!
 
Eu, inocente, sei ainda que o Benfica é dos... benfiquistas!
Na Luz, nasceu um novo estádio; no Seixal, um Campus para treino e estágio; pelo mundo, novas casas e lojas... Enfim, um admirável mundo novo surgiu. O Benfica deu cria, evoluiu para coisas boas, mas também afundou-se num grande lamaçal. Os bons valores foram enterrados de forma bandida. Eu, benfiquista anónimo, que até já nem escrevia neste blogue por desânimo com a falta de rumo num projecto que chegou a ser lindo, confesso-me um inocente, ingénuo. Em muitos momentos acreditei neste "Salgado" presidente. Hoje, agradeço os bons deputados da Assembleia da República e também o Ministério Público por ajudarem a salvar o Benfica.

... Salgado... Vieira... Benfica... Salgado...

2 comentários:

Anónimo disse...

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. Não acredito que o SLB volte para os tempos de João Santos e Borges Coutinho... Porque o futebol actual é a selvajaria, gerir somente com paixão sem astúcia é condenar o SLB para o amadorismo e tornar-se mais um Belenenses, Setúbal...
Não acredito que o Vieira seja pior que o pdc, salvador, e tantos outros, simplesmente, tornou a cadeira mais apetecível para a escumalha que quer poder e também para a escumalha que tem somente inveja.

Monte_SLB disse...

É realmente complicado fazer comparações entre duas realidades com 30 anos de diferença. O engraçado é que mudam-se os tempos e o PdC ainda continua lá. Sempre a cantar de galo, mas sabe-se lá o que teria acontecido com o Porto se o Benfica tivesse alcançado aquele penta. Intervencionados pela UEFA e em risco de ficarem fora da fase de grupos da Liga dos Campeões, aí sim estariam eles mais próximos de um Belenenses ou um Setúbal, mesmo com toda a sua astúcia. Enfim, o sucesso no futebol depende de muitas coisas. Mas esse dirigismo em Portugal cheio de vícios precisa mudar, para bem do futebol. O Benfica precisa mudar.